O Bom Senso

O Bom Senso - Site Espiritismo na Prática - Grupo de Estudos Espírita Paulo de Tarso
Ícone de views - Site Espiritismo na Prática - Grupo de Estudos Espírita Paulo de Tarso Views: 15
0 comentário(s)

O bom senso é a capacidade de uma pessoa argumentar, agir ou reagir com sabedoria e com prudência, utilizando-se da razoabilidade para analisar, observar e agir situações.


O uso do bom senso requer também o uso da razão, pois ambas andam lado a lado, assim também nos traz a ideia principal do uso da empatia e da lógica, onde você observa uma situação, analisa os fatos, e toma uma decisão favorável ou não, mas que possamos chegar neste ponto requer que tenhamos sabedoria e prudência.


Mas para que possamos tomar essa decisão, temos que nos basear em nossos próprios princípios de moralidade, da ética e da integridade e imparcialidade, onde analisamos a situação do ponto de vista neutro, sem paixões, ideologias e partidarismo.


Mas para que possamos fazer a análise com imparcialidade requer alguns requisitos que Emmanuel nos fala no livro: Fonte Viva


Cultura intelectual e aprimoramento moral são imperativos da vida, possibilitando-nos a manifestação do amor, no império da sublimação que nos aproxima de Deus” - Emmanuel, Livro: Fonte Viva


Então, para que possamos ter o discernimento e o uso do bom senso, requer conhecimento intelectual e aprimoramento moral que são os imperativos da vida, como diz o Emmanuel, mas complemento, que são atributos necessários e ideais para o adiantamento do Espírito em sua jornada evolutiva.


O bom senso, também temos que ter em nossa atividade familiar, no trabalho, no nosso dia a dia, enfim, em tudo que realizarmos ou presenciarmos, assim como, na Atividade Espírita.


Se somos trabalhadores da casa espírita e estamos colaborando em alguma atividade mediúnica ou qualquer outra atividade, precisamos sempre ter o uso do bom senso em todas as questões, pois, é necessário encarar nossas decisões e nossas escolhas com seriedade e com discernimento.


Por exemplo, diante de uma mensagem de um espírito comunicante, que recebemos ou que ouvimos, precisamos analisar, estudar e comparar essa mensagem dos espíritos com a obra básica, temos que buscar esse senso de análise, como disse sem paixões, sem qualquer tipo de motivação particular, mas é claro, tudo dentro do equilíbrio.


Pois, algumas vezes, temos que tomar uma atitude mais energética e de imediato, como por exemplo em casos de urgência e emergência, pois o socorro não espera, e não há tempo a perder.


Então, requer que saibamos discernir o momento certo para tudo, há tempo para orar e meditar, mas há tempo para agir e a reagir.


Há um livro do professor Herculano Pires chamado de “A Pedra e o Joio” que fala o seguinte:


O bom senso, como ensinou Kardec, é o fio de prumo que nos garante a construção de um conhecimento mais amplo e mais rico, mas ao mesmo tempo mais preciso.


Usar do bom senso é o primeiro preceito da normativa de Kardec. Examinar com rigor a linguagem dos Espíritos comunicantes, submetê-los a testes de bom senso e conhecimento, verificar a relação de realidade dos conceitos por eles enunciados (relação do seu pensamento com os fatos, as coisas e os seres), enquadrar os seus ensinos e revelações no contexto cultural da época, verificando o alcance abusivo ou não das afirmações mais audaciosas – eis os elementos que temos de observar no trato da mediunidade, se não quisermos cair em situações difíceis, a que fatalmente nos levariam espíritos imaginosos ou pseudo-sábios.


Então, precisamos ser prudentes e cautelosos, que são outros atributos também necessários para que possamos utilizar combinado com o bom senso, pois somente assim, será possível, adiantar-se e manter-se vigilante, a ponto de não ser surpreendido por situações ou circunstâncias que podem nos fazer equivocar, errar ou ser imprudente diante de alguma coisa.


Todos nós somos seres imperfeitos, logo, podemos tomar más decisões e realizar equívocos que podem gerar consequências irreparáveis.


Sejamos praticantes de empatia diante de decisões que podem influenciar a vida e utilizemos o bom senso para todas as situações.


Por fim, gostaria de mencionar que devemos encarar a vida e as situações que nos envolvem e também a outras pessoas com responsabilidade e seriedade, pois todas as ações nossas boas ou más, vão impactar diretamente em nossas vidas e na vida de todos aqueles que forem envolvidos naquela situação, direta ou indiretamente.


Seja prudente, tenha bom senso em suas decisões e ações aliados a razão e a lógica, tenha cautela, busque sempre o discernimento como companheiro de cada instante e de cada necessidade.

Tags para Pesquisa

bom senso discernimento razão lógica

Destacamos para você

Temos 0 comentário(s) neste artigo

Faça o seu comentário sobre este artigo: